Pesquisar no Blog

AS APARIÇÕES DE JACAREÍ-SP-BRASIL SAIBA MAIS! @Marcostaddeu Informe-se pelo TEL: (0XX12) 9 9701-2427 e-mail: santuariodejacarei@gmail.com BLOG OFICIAL

6 de jul de 2016

O ESCAPULÁRIO VERDE VOL.01 - HISTÓRIA DA APARIÇÃO E REVELAÇÃO À IRMA JUSTINE BISQUEYBURU






O Escapulário Verde, chamado por Nossa Senhora, "O emblema do Imaculado Coração de Maria," foi dado ao mundo pela Virgem Maria através de uma série de Aparições à Irmã Justine Bisqueyburo, Filha da Caridade, no ano de 1840 em Paris, França. Na festa da Natividade de Maria Santíssima, 08 de setembro de 1840, a Mãe de Deus apareceu segurando em Sua mão direita o Seu Coração Imaculado, rodeado de chamas e segurando na outra mão um Escapulário.

O Escapulário consiste em um simples pedaço de pano verde, de forma retangular, pendurado em uma corda verde. De um lado está uma imagem de Nossa Senhora vestida com um longo vestido branco que chega até Seus pés descalços. Ela usa um manto azul.
No entanto, Nossa Senhora na Imagem do Escapulário não usava véu. Em vez disso, os cabelos caíam folgadamente sobre seus ombros , e em suas mãos Ela segurava o Seu Coração Inflamado do qual jorrava sangue abundante.

Seu porte era reforçado por uma majestosa beleza Celestial. Do outro lado do Escapulário foi retratado Seu Imaculado Coração, todo em chamas e transparente como cristal, com raios derramando que apareceu mais deslumbrante do que o sol. Este Coração traspassado com uma espada, foi cercado por uma inscrição em forma oval e encimado por uma cruz de ouro. A inscrição dizia:

"Coração Imaculado de Maria, rogai por nós , agora e na hora de nossa morte"

Ao mesmo tempo, uma voz interior revelou à Irmã Justine que Deus quis estabelecer entre os homens, o mais terno e confiante amor e apreciação pela Sua Amada Mãe, por meio da devoção a Ela através do título de Seu Coração Imaculado . Quando invocada sob este título e, através desta imagem, Nossa Senhora obteria grandes favores de Seu Divino Filho, especialmente nas áreas de saúde física, a paz de espírito e conversão espiritual. Ela, que é o Refúgio dos pecadores, obtém através do uso do Escapulário Verde, a conversão daqueles que se afastaram da verdadeira fé, e daqueles pobres pecadores que não tem fé. Maria Santíssima queria cópias do Escapulário feitas o mais rapidamente possível e distribuídos com grande confiança.

Infelizmente, houve muitos atrasos. Muitos foram causados pelo ceticismo normal dos superiores e autoridades da Igreja.
A irmã sofreu muito durante este tempo. Finalmente, depois de um discernimento investigação minuciosa e cuidadosa, o Bispo local aprovou as Aparições e estava pronto para permitir a propagação deste novo sacramental.

Nossa Senhora, no entanto, nunca havia sido clara sobre alguns aspectos desta nova devoção. Questões precisavam ser respondidas. Que circunstâncias são necessárias para fazer uso do Escapulário? Havia uma bênção especial para ele? Deveria haver uma cerimônia para inscrever as pessoas no seu uso? Havia uma obrigação para aqueles que usassem? Era o escapulário para uso somente por determinados grupos de pessoas ou em determinadas situações?

Para resolver estas dificuldades, foi decidido que a Irmã Justine iria pedir a Nossa Senhora qual era a Sagrada Vontade de Deus sobre estes assuntos. Maria Santíssima respondeu durante uma Aparição em 08 de setembro de 1846 - exatamente seis anos após seu pedido inicial para a confecção do Escapulário Verde -

Nossa Senhora respondeu: "...Este Escapulário não é como os outros (que não é a roupa do hábito de uma confraria), mas apenas duas imagens sagradas em um único pedaço de material.Portanto, nenhuma fórmula especial é necessário para abençoá-lo ou inscrever-se em confrarias. Basta que ele seja abençoado e usado por aquele a quem desejamos beneficiar por intercessão de Nossa Senhora. Se, por outro lado, a pessoa é incapaz ou mesmo não disposto a usá-lo ou carregá-lo, pode até ser colocado, sem o conhecimento da pessoa, em suas roupas, quarto, ou posses... Há apenas uma oração que precisa ser dito, pelo menos uma vez por dia ". Imaculado Coração de Maria, rogai por nós agora e na hora de nossa morte" Se a pessoa que é o beneficiário do uso do Escapulário não dizê-lo, então alguém pode dizer que em seu lugar. O Escapulário Verde pode ser usado em qualquer lugar, por qualquer um. As maiores graças são anexadas ao seu uso, mas essas graças são mais ou menos grande em proporção ao grau de oração, amor e confiança da pessoa. " Este foi o significado dos diferentes tipos de raios que caiu das Mãos da Mãe de Deus na última Aparição.

PEÇA O SEU PELO TELEFONE DO SANTUÁRIO DAS APARIÇÕES DE JACAREÍ
0 XX 12 9701 24 27
SITE E BLOG OFICIAIS DAS APARIÇÕES DE JACAREÍ


The Green Scapular


"I shall bless all hearts on earth who spread devotion to my Green Scapular. 

It is my Immaculate Heart."

Sister Justine Bisqueburu was our Lady's choice for the Green Scapular, as Sister Catherine was her choice for the Medal of the Immaculate Conception. They were contemporaneous Sisters of Charity of St. Vincent de Paul.

In contrast to Sister Labouré's oblivious retirement, Sister Bisqueburu was to head military hospitals in Paris and Algiers, she was to be seen spending three days and three nights on the battlefield of Mentana, would organize ambulance corps in Rome, and accompany Pius IX on walks in his private garden.

Almost nothing is known of her life prior to her entry into the Sisters of Charity. Two coincidences stand out in the foreground of her career: on her journey from Pau to Paris to embrace the religious life, she was accompanied by Father Aladel, her future spiritual director, who had also been the director of Sister Catherine Labouré. She entered the seminary there on November 27,1839, on the ninth anniversary of our Lady's Miraculous Medal apparition to St. Catherine.


Sister Justine was making her entrance retreat when she was favored with her first vision of our Blessed Lady before the Blessed Virgin's statue in the retreat hall on January 28, 1840. This sister was at prayer when our Lady appeared dressed in white, her feet bare and showing just below the hem of the white gown over which there was a mantle of blue. Unlike most of her other apparitions, she wore no veil, but instead her hair hung loose about her shoulders. She was holding her heart in her hand, from the top of which leapt flames of fire. The sister was awe-struck by her heavenly beauty and majesty. Four or five times during the year, on principal feasts of the Blessed Virgin, the vision reappeared. During meditation on September 8, 1840, feast of the Nativity of Mary, Our Lady held her heart in one hand and a green scapular in the other. It was not the conventional type of scapular, but only one rectangular piece of green cloth, fastened to a green string to be placed about the neck. On one side of this was a picture of our Lady as she had appeared previously. On the other, in the words of Sister Justine, there was 'a heart all ablaze with rays more dazzling than the sun, and as transparent as crystal." The heart, emitting flames and pierced with a sword was surrounded with a circular inscription, over which was a gold cross. The inscription was an ejaculatory prayer: 


"Immaculate Heart of Mary, pray for us now and at the hour of our death.'


The green scapular, or "Badge of the Immaculate Heart of Mary," as it is variously called, was to be an instrument for the Daughters of Charity to be used in the conversion of sinners and infidels, especially in the matter of obtaining for them the grace of a happy death, Sister Justine was told. The interior voice also made known to her that they were to be made and distributed as soon as possible. The report of the apparition and the requests of our Lady were reported to Sister Justine's superior with the utmost of caution and deference.


The same vision reoccurred on August 15, 1840, and September 13,1841. A message was sent to Father Aladel. He apparently thought nothing of it and dismissed the whole matter. Nothing was done about the making and distribution of the scapular. In a vision of May 3,1842, after her Holy Communion thanksgiving, the Blessed Virgin complained of this to Sister Bisqueburu. Our Lady said she was displeased because of the delay. This message was conveyed to Father Aladel and he seemed to rush matters. At last the scapular was made, but not in large quantities, and its use seemed to be experimental and without enthusiasm. In successive apparitions during 1846, Our Lady objected many times of the protracted delays and lack of confidence with which the scapular was used. In desperation, Sister Justine wrote her superior: 


"It is absolutely necessary that Father Aladel attend to the Scapular, that he should disseminate it and do so with confidence. Heretofore, I am sure, he did not attach great importance to it. He was very wrong. True, I do not deserve to be believed, for I am only a poor girl in every respect. May I entreat him to do this, not for my sake, but I ask him in the name of Mary to do it for these poor souls who die without knowing the true religion; yes, if it be givenwith confidence, there will be a great number of conversions. ...Answer me, I beg of you, as soon as possible; we cannot lose any time."


The Green Scapular was to be different from every other scapular in one respect. It was not a habit or insignia of any confraternity, and therefore no formula or imposition was necessary. It had merely to be blessed by a priest and worn like a medal, and the wearer was obliged to say once a day the prayer inscribed on it: 


"Immaculate Heart of Mary, pray for us now and at the hour of our death."


In the case of sinners or infidels, the scapular could be placed in a bed or room, or sewn or slipped unknown to the person into his clothing, and the benefactor could say the prayer in his stead. Different kinds of rays fell from the Blessed Virgin's hands in the vision, signifying that the graces obtained from its use would be greater or less in proportion to the degree of confidence on the part of the devotee. Subsequent approval was climaxed by the favorable reception of the scapular by Pope Pius XI, who placed the scapular on his desk with the Miraculous Medal.


The Green Scapular was the occasion of all manner of graces, of favors and cures; it is not to our purpose to cite them here. What is important to our thesis is that the Immaculate Heart of Mary was attested to by our Lady herself in anticipation to the coming of her age. Here again she was presaging the great climax in the Message of Fatima where she said: 


"Jesus wishes His Sacred Heart honored in union with my Immaculate Heart." 


Again on July 13 after the children of Fatima had seen the vision of hell: 


"You have just seen hell where the souls of sinners will suffer forever. To save souls from hell, God wishes to establish in the world devotion to my Immaculate Heart."

The Immaculate Conception was heralded with Catherine Labouré and her Medal; it appeared with the Sacred Heart of Jesus on the back of the medal. The Immaculate Heart of Mary was proclaimed again with the Green Scapular; likewise the Sacred Heart of Jesus and Mary were correlated on the back of the scapular. The reverse of the medal consisted of a large "M" surmounted by a cross upright on a bar supported by the letter. Beneath the letter was the Sacred Heart on the left, crowned with thorns and across rising out of flames issuing from the top; the Immaculate Heart of Mary as on the Green Scapular was to the right, pierced with a sword, and the same flames rising forth. All was encircled by a diadem of twelve stars. St. John speaks in the Apocalypse of the "Woman clothed with the sun, the moon under her feet, and on her head a crown of twelve stars.' She had come!

The particular power of this scapular is to help in the conversion of sinners, and in obtaining for them the grace of a happy death.

To complete the correlation there was the red scapular, given during the same period to another Sister of Charity. On July 29, 1846, another Daughter of Charity, Sister Appoline Andriveau, was favored by an apparition of our Lord, Who revealed to her a new scapular of a red color, on which, next to His Heart, was also that of His Mother, and which for this reason received the name of Scapular of the Sacred Hearts of Jesus and Mary.

Our Lady was building the edifice of devotion to her Immaculate Heart to save souls from hell with many means, long before her greatest plea at Fatima in 1917. The Marian Age was speedily under way; the opening strokes were completed; the essential cores were wound and energized.

-from Recent Apparitions of the Blessed Virgin Mary, by Stephen Breen.

Practices
1. Wear or carry the scapular
2. To help another, place it in their vicinity (i.e. their room)
3. Pray, at least daily: "Immaculate Heart of Mary, pray for us now and at the hour of our death" 
4. The prayer should be said for oneself and separately for each person to whom it has been given (unless they pray themselves)
5. No enrollment of any kind is necessary, but each scapular should be blessed by a priest (general blessing of sacramentals)
6. Have confidence in the effects of the scapular:

"The greatest graces come from using the scapular but these graces come in direct proportion to the degree of confidence in me which the user has."

The Green Scapular was twice approved by Pope Pius IX, in 1863, and again in 1870 when he said: “Write to these good Sisters that I authorize them to make and distribute it.”


Promises/Benefits
1. Conversion of those who do not have the faith
2. Reconciliation to the Church for those who have lost/strayed from the faith
3. Assurance of a happy death
4. Strengthening of the faith for those already in the Church
5. Protection from Satan for those who wear or promote the scapular

In Jacarei´s Apparitions, Our Lady asked that everybody should use the Scapular which She had reveled on her Apparitions. These sacramental should be used together.


PHONE  55 12 9701 2427 

DEFESA ÀS APARIÇÕES DE JACAREÍ

DEFESA ÀS APARIÇÕES DE JACAREÍ

(FEITA POR UM PEREGRINO, AO CONTEMPLAR UM VÍDEO FALANDO MAL DAS MESMAS CITADAS ACIMA, E SOBRE A CARTINHA DO BISPO DA ÉPOCA, ALEGANDO QUE AS APARIÇÕES NÃO ERAM VERDADEIRAS)

NÃO SEI QUEM FEZ MAS PRA MIM ESSA PESSOA MERECIA UMA MEDALHA DE HONRA DE NOSSA SENHORA POR ESTA BELA DEFESA

"Quando você diz que devemos dar ouvidos ao que os padres dizem a respeito das aparições de Jacareí, corre em um ledo engano, pois, a “opinião pessoal” deles é que não pode ser elevado ao nível de “dogma de fé”. As cartas de Dom Nelson são muito citadas pelos que latem que estas Sagradas Aparições são falsas. Portanto, mister se faz alguns esclarecimentos. Há duas cartas oficiais onde este indigitado bispo trata da matéria “aparições”. Uma primeira, publicada em 1996, enquanto o mesmo ainda era bispo de São José dos Campos (diocese a qual pertence Jacareí). Nesta, não há menção alguma ao nome do Profeta Marcos Tadeu Teixeira, muito menos, excomunhão, há somente algumas orientações pastorais. A segunda, publicada em 2007 e republicada em 2011, realmente traz explicitamente o nome do Profeta Marcos Tadeu Teixeira, porém, nesta, a palavra “excomunhão” é sequer mencionada.

Ainda há um probleminha com esta segunda carta. O dito bispo (certamente pela providência de Nossa Senhora) foi transferido para a diocese de Santo André/SP em 2003, e, observem, a segunda carta publicada por ele ocorreu no ano de 2007, quando já havia deixado de ter jurisdição eclesiástica sobre a cidade de Jacareí. Portanto, o mesmo, ao editar esta carta, violou a jurisdição eclesiástica conferida a ele pela Igreja, e, ainda, violentou gravemente a autoridade de Dom Moacir, então, bispo da Diocese de São José dos Campos, que, se quisesse, poderia ter criado o maior caso com isso, pois Dom Nelson desrespeitou frontalmente e atropelou sua autoridade eclesiástica, uma verdadeira afronta. Então eu lhes pergunto, vocês ainda vão dar credibilidade a um documento irregular e eivado de vícios como esse?

Vale lembrar, que não é obrigatório seguir estas cartas circulares dos bispos. Não há heresia nem cisma nisso. Um católico somente pode ser acusado de cismático ou herege se atentar contra os Dogmas de Fé. Que eu saiba, carta circular de bispo não é Dogma de Fé. Como a primeira carta de Dom Nelson não condena as Aparições de Jacareí, e a segunda está irregular, pode-se dizer que não pesa condenação oficial e regular da Igreja sobre estas Santas Aparições. Além do mais, até o presente momento, Dom José Valmor, que atualmente tem jurisdição eclesiástica sobre Jacareí, não fez pronunciamento oficial sobre as mesmas. Documento oficial onde o Profeta Marcos foi excomungado, também é inexistente, portanto, qualquer informação que diga o contrário é fruto de pura “fofoca”.

Ressalto que em Jacareí, realmente, não damos tanta importância aos documentos do Vaticano. O que nós realmente valorizamos é a doutrina que nos foi transmitida pelos santos, como Santo Afonso, São Luiz, Santa Teresa, São João da Cruz, etc... Outro adendo que gostaria de acrescentar, diz respeito ao fato da obrigatoriedade ou não das Sagradas Mensagens Celestiais. A orientação predominante entre os teólogos católicos, de que não é obrigatório seguir as Aparições de Nossa Senhora, se funda em meras opiniões pessoais de alguns clérigos a respeito do assunto. Esta orientação não tem o caráter da infalibilidade papal e muito menos é um Dogma de Fé. Realmente, o catecismo atual traz algo nesse sentido, mas vale lembrar que o mesmo não recebeu o caráter da infalibilidade pelo Concílio Vaticano II. Bem ao contrário do Santo Catecismo do Concílio de Trento. Este sim, recebeu o caráter de infalível. Ocorre que nossa amada Igreja há muito se transviou de uma tradição bíblica milenar, através da qual o “Deus dos Exércitos” sempre manifestou sua vontade ao povo de Israel por meio de suas aparições aos profetas (mesmo fenômeno que ocorre com o, também, profeta Marcos Tadeu, pois os fenômenos miraculosos e de aparições que ocorrem naquele Santuário, são da mesma espécie dos verificados na Sagrada Bíblia).

Ora, nos tempos bíblicos não era através dos fariseus, saduceus, príncipes e doutores da lei (a Igreja oficial da época) que Deus dava as suas diretrizes ao povo eleito, mas sim, através dos profetas, em outras palavras, dos videntes. Nos primórdios do cristianismo, também ocorria assim, pois, a própria origem da nossa amada Igreja se funda nas “aparições” de Jesus aos apóstolos e discípulos. Então, por que esta tradição bíblica foi quebra? Será que é porque as aparições aos profetas cessaram? Errado, pois nos últimos 100 anos ocorreram mais de 1000 aparições de Nossa Senhora, dos santos e anjos, e até de Deus.
A pergunta correta é, por que o clero tenta abafar isso, pois grande parte, senão todas, destas aparições também foram acompanhadas de sinais miraculosos, como, curas inexplicáveis pela ciência, sinais na natureza, etc... Se Deus usava deste expediente nos tempos bíblicos, certamente deveria continuar a usá-lo nos tempos do catolicismo, pois uma grande verdade que a Teologia professa é que Deus é imutável. Não citarei as passagens bíblicas onde Deus manifesta sua vontade através dos videntes/profetas, pois se assim fizesse, teria que citar a Bíblia inteira, pois a própria formação e ensinamentos nela transmitidos se dão por este meio. Gostaria apenas de citar um pequeno exemplo de qual atitude deveremos tomar frente às Aparições de Jacareí, tomando por base a Bíblia. Saulo, quando se dirigia à cidade de Damasco e Jesus lhe “aparece” exclama: “Senhor, que queres que eu faça?” (At 9, 6). Naquela ocasião, Jesus disse a ele para procurar os fariseus e saduceus (a Igreja oficial da época)? Não! O ordenou que entrasse na cidade de Damasco e ali lhe seria dito o que deveria fazer. Beleza. E quem Deus enviou para Saulo? Os fariseus e saduceus (a Igreja oficial da época)? Não! Mas Ananias, um vidente. Como eu sei que Ananias era um vidente? As Sagradas Escrituras nos contam que foi uma aparição de Jesus que disse para ele ir procurar Saulo. É só conferir At 9, 10-16ss.

Outro exemplo foi Judas Iscariotes; este preferiu errar com a Igreja oficial da época (lembra né, fariseus e saduceus) que acertar sem ela. Bom... Errou mesmo! E segundo alguns santos místicos, como Maria de Ágreda, sua alma se encontra no inferno. Assim, a posição teológica defendida pela maioria dos teólogos atuais, de que as aparições não são obrigatórias, falando em termos de estudo teológico da atualidade, é perfeitamente passível de questionamento, e, inclusive, daria uma boa tese de doutoramento. É um posicionamento que pode ser mudado. Não é Dogma de Fé. Gostaria de finalizar este ponto dizendo o seguinte. Jesus tolerou para sempre aquela Igreja oficial da época (o judaísmo) que rejeitou o projeto que suas aparições aos Apóstolos (que também eram videntes) propunha? Claro que não!!! Por causa disso, Deus se retirou do meio daquela Igreja e passou a habitar no meio dos seus videntes, os apóstolos e discípulos, e, assim, surgiu a nossa amada Igreja Católica (Mt 21, 39-45).

Não é objetivo do Profeta Marcos Tadeu, nem de sua Ordem e muito menos de nós, a Milícia da Paz (formada por todos os fiéis seguidores daquele Santuário) provocar um cisma na Igreja. Nós apenas denunciamos os erros (prerrogativa esta, conferida aos leigos pelo próprio Concílio Vaticano II), lutamos para que a devoção a Nossa Senhora, aos santos e anjos seja colocada em seu devido lugar, e que as suas mensagens, e as dos demais santos, e até as de Deus, seja acolhida como nos tempos Bíblicos, pois acreditamos que se isto não for feito, irá se abater gigantescos cataclismos sobre a Terra, de uma tal magnitude que nunca houve, nem jamais haverá. Acreditamos que esta “palavra de Deus” transmitida nas aparições é o caminho e a única forma de salvar o mundo, e qualquer obra, ou pessoa, que ensine ou faça diferente do que elas dizem, é desprezada por nós. O motivo para isto é muito simples. Desde tempos remotos, as Aparições de Nossa Senhora (inclusive as não aprovadas pela Igreja) vêm dizendo o que aconteceria ao mundo se esta “palavra de Deus” não fosse obedecida. Resultado, tudo o que elas disseram, em um passado remoto, está se cumprindo na atualidade. Então, não há outra conclusão a se fazer, a não ser admitir que elas eram verdadeiras, e que o clero errou. Aliás, o histórico de erro do clero é algo realmente interessante. Basta citar a condenação que pesou durante 20 anos sobre as Santas Aparições de Jesus Misericordioso à Santa Faustina, e não foi por um “bispozinho” qualquer. Foi pelo próprio papa da época. Se não fosse a atuação do então Cardeal Karol Józef Wojtyła, futuro Papa João Paulo II, estas aparições estariam condenadas até os tempos atuais, e, certamente, você seria um grande opositor delas, não é? Infelizmente, como atualmente o número de Cardeais, e clérigos em geral, com este nível de espiritualidade é praticamente nulo... tadinha das aparições... snif. Praticamente nenhum deles entende de Teologia Mística, o estudo apropriado para se avaliar as aparições e estudá-las.

Além do mais, as aparições de La Salette, Lourdes e Fátima, para quem conhece mais a fundo sua história, verá que elas na verdade não foram aceitas pelo clero. Muito pelo contrário, este as combateu com todas as suas forças. Na realidade, o que ocorreu, é que os fiéis praticamente as fizeram descer goela abaixo na garganta do clero, de tal modo, que eles não tiveram outra opção a não ser aprová-las. E, mesmo nestas que foram aprovadas, o estrago que o clero fez é algo incomensurável. Não as divulgou como deveria; se o corpo incorrupto de Santa Bernadete estivesse no Santuário de Lourdes iria converter milhões de fiéis, no entanto está praticamente escondido no convento de Nevers; o corpo incorrupto de Santa Jacinta foi escondido dos fiéis; a esmagadora maioria dos vaticanistas da Itália é de acordo que, até hoje, o terceiro segredo de Fátima não foi revelado em sua integralidade; a consagração da Rússia não foi feita como Nossa Senhora pediu até os dias atuais, etc... E isso, só para citar os danos que me vem à mente neste momento.

No Santuário das Aparições de Jacareí, o Profeta Marcos está resgatando tudo aquilo que a Igreja e a sociedade tanto se esforçaram para extinguir, os escapulários, medalhas, mensagens, enfim, a salvação do mundo que Nossa Senhora nos revelou e ofereceu com tanto amor ao longo de suas aparições na história. Sem dúvida, lá está se cumprido a passagem da Escritura na qual se diz: “Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas...” Mt 13,52 É uma nova aparição que resgata todas, até as mais antigas. Portanto, se ainda quiserem seguir a doutrina da cabeça deste cara de que não precisamos de aparições, o problema é de vocês. Aliás, se formos pensar bem, porquê Deus, Nossa Senhora os anjos e os santos apareceriam, né? Afinal de contas, nosso mundo está uma verdadeira maravilha, não é? Não temos problemas de droga, prostituição, corrupção, degradação moral, depressão, decadência da Igreja, violência, roubos, assassinatos, guerras, miséria..., todos os sacerdotes são verdadeiros Serafins de santidade, enfim, o Vaticano está dando conta do recado... Só não está apresentando um desempenho melhor devido a um “pequeno” probleminha de tráfico de influência entre os altos clérigos, desvio de verbas do banco do Vaticano, looby gay entre os padres, pedofilia generalizada, um papa progressista e comunista..., mas, afinal de contas, são probleminhas fáceis de serem solucionados, né? É... Em um mundo maravilhoso e em ótimo funcionamento como esse, realmente não entendo o motivo de tantas aparições..."