Pesquisar no Blog

29 de dez de 2012

29 de dezembro - Dia da Sagrada Família

Cenáculo de Natal do ano 2012 
Santuário das Aparições de Jacareí - SP - Brasil
FILME RARO - OS MISTÉRIOS DO ROSÁRIO - O SALVADOR - VOLUME 1
 A SAGRADA FAMÍLIA

O projeto de Deus para a redenção de toda a humanidade tem como centro a encarnação do seu Filho como homem vivendo entre nós. Quis que seu amado Filho fosse o exemplo de tudo. Por isso ele foi acolhido no seio de uma verdadeira família. Uma humilde, boa e honrada família, ligada pela fé e os bons costumes. 




Ele escolheu, seus anjos agiram e a Sagrada Família foi constituída. 


Deus Pai enviou Jesus com a natureza divina e a natureza humana recebida de Maria Santíssima a única que pode dizer que tem um filho em comum com o próprio DEUS: o Verbo encarnado, trazendo a sua redenção para todos os seres humanos nascendo do seio puríssimo de Sua Santíssima Mãe. Ou seja: a salvação do ser humano se dá através de Jesus o Redentor, em união com sua Mãe Santíssima a Co-redentora de toda a humanidade em união com o Seu Filho Santíssimo, quem crer e seguir terá a vida eterna no Reino de Deus. 


Assim, Jesus nasceu numa verdadeira família para receber tudo o que necessitava para crescer e viver, mesmo sendo muito pobre. 




Teve o amor dos pais unidos em DEUS, na fé, no amor, na caridade. Escolheu José seu Pai adotivo que como ninguém soube cuidar dos mais preciosos tesouros que o próprio DEUS os confiou "Jesus e Maria". 
Maria, José e Jesus são o símbolo da verdadeira família idealizada pelo Criador. 



Na "Sagrada Família", destaca-se a sua abnegação, a aceitação e a adesão ao projeto que o próprio Deus que vivia com Eles os direcionou, com a entrega plena às suas disposições. Mesmo assim, não perderam sua condição humana, imprescindível para que todas as profecias se cumprissem, embora a graça de DEUS nunca os faltou e desamparou.


A família residiu em Nazaré até que Jesus estivesse pronto para desempenhar sua missão. 

Lá, Jesus aprendeu a andar, correr, brincar, comer, rezar, cresceu, estudou, foi aprendiz e auxiliar de seu pai adotivo, José, a quem amava muito e que por ele era muito amado também. 






Foi um filho obediente à Sua Santa Mãe, Maria, e demonstrou isso já bem adulto, e na presença dos apóstolos, nas bodas de Caná, quando, a pedido de Maria, operou o milagre do vinho. 



Quando o Messias começou a trilhar os caminhos, aldeias e cidades, pregando o Evangelho, era reconhecido como o filho de José, o carpinteiro da Galiléia. Até ser identificado como o Filho de Deus aguardado pelo povo eleito, Jesus sempre foi obediente a Sua Mãe até iniciar o seu caminho indicado pelo Pai, e mesmo neste período sempre foi obediente e tinha um amor incalculável pela sua Santa Mãe.


Essa família é o modelo de todos os tempos. É exemplar para toda a sociedade, especialmente nos dias de hoje, tão atormentada por divórcios e separações de tantos casais, com filhos desajustados e todos infelizes. A família deve ser criada no amor, na compreensão, no diálogo, com consciência de que haverá momentos difíceis e crises formais. Só a certeza e a firmeza nos propósitos da união e a fé na bênção de Deus recebida no casamento fará tudo ser superado. Pedir esse sacramento à Igreja é uma decisão de grande responsabilidade, ainda maior nos novos tempos, onde tudo é passageiro, fútil e superficial. 


Esta celebração serve para que todas as famílias se lembrem da humilde Sagrada Família, que mudou o rumo da humanidade. Ela representa o gesto transcendente de Deus, que se acolheu numa família humana para ensinar o modo de ser feliz: amar o próximo como a nós mesmos. A Igreja comemora a festa da Sagrada Família em data móvel, no domingo após o Natal, ou, alternativamente, no dia 29 de novembro.