Pesquisar no Blog

AS APARIÇÕES DE JACAREÍ-SP-BRASIL SAIBA MAIS! @Marcostaddeu Informe-se pelo TEL: (0XX12) 9 9701-2427 e-mail: santuariodejacarei@gmail.com BLOG OFICIAL

29 de mai de 2013

30 de maio - Dia de Santa Joana d'Arc

Santa Joana d'Arc
1412-1431

FILME: JOANA D'ARC - 1948 - VIDA E MARTÍRIO DE SANTA JOANA DARC
PALESTRA DO VIDENTE MARCOS TADEU APÓS A EXIBIÇÃO DESTE FILME NA CAPELA DAS APARIÇÕES NO DIA 06.11.2011


FILME: JOANA D'ARC (HISTÓRIA DA VIDA DE SANTA JOANA D'ARC 1999) 

DESENHO ANIMADO - VIDA DE SANTA JOANA D'ARC

Santa Joana d'Arc

1412-1431



Filha de Jaques d'Arc e Isabel, camponeses muito pobres, Joana nasceu em Domrémy, na região francesa de Lorena, em 6 de janeiro de 1412. Cresceu no meio rural, piedosa, devota e analfabeta, assinava seu nome utilizando uma simples, mas significativa, cruz. Significativa porque já aos treze anos começou a viver experiências místicas. 

Ouvia as "vozes" do arcanjo Miguel, das santas Catarina de Alexandria e Margarida de Antioquia, avisando que ela teria uma importante missão pela frente e deveria preparar-se para ela. Os pais, no início, não deram importância , depois acharam que estava louca e por fim acreditaram, mas temeram por Joana.

A França vivia a Guerra dos Cem Anos com a Inglaterra, governada por Henrique VI. Os franceses estavam enfraquecidos com o rei deposto e os ingleses tentando firmar seus exércitos para tomar de vez o trono. As mensagens que Joana recebia exigiam que ela expulsasse os invasores, reconquistasse a cidade de Orleans e reconduzisse ao trono o rei Carlos VII, para ser coroado na catedral de Reims, novamente como legítimo rei da França. A ordem para ela não parecia impossível, bastava cumpri-la, pois tinha certeza de que Deus estava a seu lado. O problema maior era conseguir falar pessoalmente com o rei deposto.

Conseguiu aos dezoito anos de idade. Carlos VII só concordou em seguir seus conselhos quando percebeu que ela realmente tinha por trás de si o sinal de Deus. Isso porque Joana falou com o rei sobre assuntos que na verdade eram segredos militares e de Estado, que ninguém conhecia, a não ser ele. Deu-lhe, então, a chefia de seus exércitos. Joana vestiu armadura de aço, empunhou como única arma uma bandeira com a cruz e os nomes de Jesus e Maria nela bordados, chamando os comandantes à luta pela pátria e por Deus.

E o que aconteceu na batalha que teve aquela figura feminina, jovem e mística, que nada entendia de táticas ou estratégias militares, à frente dos soldados, foi inenarrável. Os franceses sitiados reagiram e venceram os invasores ingleses, livrando o país da submissão.

Carlos VII foi, então, coroado na catedral de Reims, como era tradição na realeza francesa.

A luta pela reconquista demorara cerca de um ano e ela desejava voltar para sua vida simples no campo. Mas o rei exigiu que ela continuasse comandando os exércitos na reconquista de Paris. Ela obedeceu, mas foi ferida e também traída, sendo vendida para os ingleses, que decidiram julgá-la por heresia. Num processo religioso grotesco, completamente ilegal, foi condenada à fogueira como "feiticeira, blasfema e herética". Tinha dezenove anos e morreu murmurando os nomes de Jesus e Maria, em 30 de maio de 1431, diante da comoção popular na praça do Mercado Vermelho, em Rouen.

Não fossem os fatos devidamente conhecidos e comprovados, seria difícil crer na existência dessa jovem mártir, que sacrificou sua vida pela libertação de sua pátria e de seu povo. Vinte anos depois, o processo foi revisto pelo papa Calisto III, que constatou a injustiça e a reabilitou. Joana d'Arc foi canonizada em 1920 pelo papa Bento XV, sendo proclamada padroeira da França. O dia de hoje é comemorado na França como data nacional, em memória de santa Joana d'Arc, mártir da pátria e da fé.


OS MILAGRES DE SANTA JOANA DARC PARA SUA BEATIFICAÇÃO E CANONIZAÇÃO.

No processo de declaração de uma pessoa a "santo" os promotores da causa do santo em perspectiva são convidados a apresentar quatro autênticos milagres para garantir a beatificação e para a canonização mais dois milagres.

O Santo Padre pode dispensar um milagre se o candidato fundou uma ordem religiosa. 
No caso de Joana D'Arc , esta dispensa foi concedida porque ela tinha salvado a França. 
Assim, três milagres foram suficientes para a sua beatificação. 

Os três milagres aprovados que levaram Joana a Beata foram estes:
1) Irmã Teresa de Santo Agostinho, que viveu em Orleans, foi curada de úlceras na perna.

2) A irmã Julie Gauthier, que viveu em Faverolles, foi curada de uma úlcera cancerosa em seu peito esquerdo.

3) Irmã Marie Sagnier, que viveu em Frages, foi milagrosamente curada de um câncer do estômago.

O Papa Pio X solenemente aceitou esses três milagres como autênticos em 13 de dezembro de 1908. 

Ele declarou, "Joana de Arc brilhou como uma estrela nova destinada a ser a glória, não só da França, mas da Igreja Universal também."

Foi por causa de sua virtude heróica que ela foi declarada Beata em 18 de abril de 1909.

O Partido Socialista na França era muito anti-clerical e queria canonizar Joana d'Arc para que eles pudessem usar sua imagem estritamente como uma heroína política. 

Entre 1895 e 1905, as relações entre o governo socialista e a Santa Sé, pioraram ao ponto de um colapso total. 

Francaise L 'Action, uma organização monarquista político conservadora, trabalhou e saiu às ruas para derrubar o governo socialista. 

Esta organização também trabalhou para a canonização de Joana.

Os dois milagres necessários para a canonização de Joana d'Arc foram obtidos e autenticados sem muita demora, mas a I Guerra Mundial pôs fim a todas essas atividades. 

Em 1920, quando a guerra acabou e os franceses saíram vitoriosos, o Vaticano queria melhorar as relações com o governo socialista.

A Santa Sé estava disposta a dar-lhes a santa, se o governo francês restabelecesse as relações diplomáticas.

Em seu livro, Saint Joan of Arc, Mons. Leon Cristiani descreveu sua ligação a um dos dois milagres que levaram Joana D'Arc oficialmente a ser declarada santa pela Igreja. 

O milagre que ele testemunhou ocorreu em Lourdes, em 22 de agosto de 1909, durante a procissão do Santíssimo Sacramento.



A pessoa em questão era Thérèse Belin, que estava inconscientequando o Santíssimo Sacramento passou à sua frente. Mons. Cristiani estava desejoso de ver Joana canonizada. 

Ele obteve permissão do Bispo de Orleans para chamar Joana D'Arc durante a bênção dos enfermos, na esperança que um milagre poderia ocorrer que poderiam ser atribuídos à intercessão de Joana. 

Na primeira invocação a Beata Joana de Arc, Teresa abriu os olhos, na segunda ela se sentou em sua maca e no terceira ela sentiu que tinha sido curada. 

Mons. Cristiani depois entrevistou Teresa e sua madrinha sobre sua doença.

Informaram-lhe as várias fases de sua doença, as operações que ela teve e os remédios que haviam sido usados ​​sem efeito. 

Seu diagnóstico médico foi de tuberculose peritoneal e pulmonar, complicada por uma lesão orgânica do orifício mitral. 

Em outras palavras, teve tuberculose em seus pulmões e na cavidade abdominal, que foi complicada por uma lesão orgânica de sua válvula mitral do coração - obviamente ela estava muito doente.

Outra cura reconhecida ocorreu a Miss Mirandelle que tinha um diagnóstico de mal perfurante plantar o que significa que ela tinha um buraco que atravessou a planta de seu pé.

Joana d'Arc foi canonizada em uma cerimônia grandiosa e solene na Basílica de São Pedro em 16 de maio de 1920. 

Sua festa é celebrada em 30 de maio, o dia de sua morte.

Em 10 de julho de 1920, o governo francês fez oficialmente 08 de maio como feriado nacional.

E pelo 20 de novembro deste mesmo ano, retomou as relações diplomáticas com a Santa Sé.

No aniversário de cinco centésimo de Joana d'Arc da morte, 30 de maio de 1931, houve uma grande celebração em Rouen para marcar este aniversário. 

Representantes do governo, exército, universidades, parlamentares, magistrados, o clero e papado compareceram.

Mesmo o arcebispo de Westminster, Prelado de toda a Inglaterra, veio para expressar a sua grande admiração de suas virtudes.

Desde a infância mais precoce Joana d`Arc orou ardentemente a partir de seu coração. 

Sua vida de oração levou a uma fé fervorosa em Deus. Sua fé em Deus levou-a a amá-lo profundamente. 

Este intenso amor a levou a aceitar a vontade de Deus para sua vida. 

Se orarmos, crermos e amarmos serenamente como Joana fez, então nós também seremos usados por Deus!

Este é o segredo para a santidade de Joana, ela ouviu, respondeu e obedeceu. 

"Aqui eu estou o Senhor! Eu venho para fazer a Tua vontade!" Ela declarou em seu julgamento, e sua mensagem para nós é: 

"Eu acreditava que era um anjo falando comigo, e eu tive a vontade de acreditar."

O primeiro milagre.

Irmã Teresa de Santo Agostinho, uma freira beneditina de Orleans, foi atacada em Dezembro de 1897, por dores agudas no estômago. Estas aumentaram continuamente, acompanhadas pela doença freqüente, até maio de 1900, ela teve vômitos de sangue tão exaustivos que ela parecia estar quase morta.

Daquele momento em diante, ela nunca saiu de sua cama. Os vômitos se tornaram quase diários e de reincidência constante. Ela estava no dilema de asfixia, se ela tomasse qualquer alimento, ou de morrer de fome se ela não o tomasse.

O médico esperava que ela tivesse morte rápida.

Nestas condições uma novena a Joana d'Arc foi iniciada em 30 de julho de 1900.

Os vômitos de sangue continuaram quase incessantemente.

Em 6 de agosto foram mais freqüentes do que nunca.

Na noite de 6 a 7, houve uma crise de fraqueza e de síncope.

No dia 7 os vômitos foram renovados.


Na noite de 7 de agosto, no auge da crise, a Irmã Teresa pede seu hábito, dizendo que ela ia se levantar no dia seguinte, porque ela vai ficar curada.

As irmãs presentes dizem uma a outra, "Peguem o hábito dela, ela vai se preparar para seu enterro."

Enquanto isso, a Irmã Teresa adormeceu até duas horas da manhã. Ao som do sino para Matinas ela queria subir. Foi-lhe dito para permanecer em silêncio até cinco e meia, e ela obedeceu.

Às cinco e meia, na manhã de 8 de agosto, ela se vestiu, desceu para a capela, e orou com os braços estendidos na forma de uma cruz, recebeu a Sagrada Comunhão, jantou com a comunidade sobre a tarifa comum, e não sofreu qualquer inconveniência.

Desde aquela época, a cura perfeita e instantânea foi devidamente fundamentada pela experiência subseqüente de fé na novena.


O segundo milagre.

Irmã Julie Gauthier, de Favrolles na diocese de Evruex, sofreudurante quinze anos a partir de uma úlcera cancerosa na mamaesquerda. Um dia, ela estava falando com sua classe de crianças sobre Joana d'Arc, a idéia ocorreu-lhe de fazer uma novena para a Donzela, pois ela havia deixado de lado toda a esperança de cura por meios naturais.

Mas seus sofrimentos eram tão grandes que ela temia ser incapaz de fazer uma novena de oração seguida em nove dias.

Ela lembrou-se então de um plano pelo qual a novena pode ser prontamente concluída. Ela levaria oito das crianças de sua classe para rezar e ela mesma iria fazer a nona oração. Eles iriam juntos dizer as orações por sua recuperação em uma única visita à igreja.

Reunir as crianças ao seu redor e ir com elas rezar ou receber os Santos Sacramentos, era uma das delícias de Joana d'Arc. Ela faria a mesma coisa.

Eles foram, e, em seguida, e a irmã Julie, que com dificuldade tinha sido capaz de ir tão a igreja, voltou em pleno vigor. A ferida foi fechada, e a irmã Julie estava perfeita e definitivamente curada.

O terceiro milagre.

Marie Sagnier, de Fruges na diocese de Arras, uma freira da congregação da Sagrada Família, sofreu durante três meses de úlceras e abcessos em ambas as pernas. A doença foi diagnosticada como sendo uma afeição tuberculosa da carne e ossos.

Ela fez uma novena a Joana d'Arc. Na manhã do quinto dia os curativos se soltaram, a inflamação tinha desaparecido, as úlceras e os ferimentos foram curados, os ossos haviam se tornados firmes, e Marie Sagnier havia recuperado seu vigor antigo, que tem sido mantido desde então.

Oração a Santa Joana DÁrc

Ó mais pura Virgem e Gloriosa mártir Santa Joana da qual Deus e Seu Eterno Poder tem revelado para o mundo de modo a reviver a fé, a esperança e a caridade das almas cristãs.

Eu me prostro a vossos pés minha querida santa, digna ,virgem, cheia de graça e bondade e peço que receba as orações deste seu humilde servo e obtenha para mim a pureza de teu terrível sacrifício e a fortaleza de sua alma e faça com que eu resista aos mais terríveis ataques e que eu venha a sentir este seu amor ardente para o Nosso Senhor Jesus Cristo, amor este que os mais terríveis tormentos não o fez extinguir em ti .

Assim espero que seguindo este exemplo santo e imitando sua vida, eu possa um dia estar contigo no paraíso. Na hora de minha agonia final venha em meu socorro, fique ao meu lado e me conduza a presença de Jesus.

Amem.

Oração a Santa Joana DÁrc

Senhor,
suplicamos-Lhe o perdão dos nossos pecados pela intercessão de Santa Joana , virgem e mártir, pela sua castidade de vida e cada virtude que a tornou agradável aos Seu olhos. Amém. Santa Joana, eis-me aqui, prostrado diante do trono em que apraz à Santíssima Trindade colocá-la.

Cheio de confiança em sua proteção, rogo-lhe que interceda por mim diante de Deus,dignando-se lançar um olhar sobre este seu humilde devoto.

Como a uma das esposas eleitas de Cristo, dirijo-lhe confiantemente o meu pedido de que me sustente no sofrimento, fortifique-me nas tentações, proteja-me dos perigos que me rodeiam, obtendo-me as graças de que tanto necessito, em particular (especifique, aqui, o seu pedido)...

Acima de tudo, espero contar com a sua santa assistência na hora da minha morte.

Santa Joana, pela sua poderosa intercessão junto de Deus, rogai por nós!

Santíssima Trindade, nunca cessaremos de Lhe agradecer pelas graças concedidas à bem-aventurada sempre virgem Maria e à Sua serva Santa Joana, e pela intercessão de ambas imploramos, mais uma vez, que tenha piedade de nós. Amém.

  

Um comentário:

DEFESA ÀS APARIÇÕES DE JACAREÍ

DEFESA ÀS APARIÇÕES DE JACAREÍ

(FEITA POR UM PEREGRINO, AO CONTEMPLAR UM VÍDEO FALANDO MAL DAS MESMAS CITADAS ACIMA, E SOBRE A CARTINHA DO BISPO DA ÉPOCA, ALEGANDO QUE AS APARIÇÕES NÃO ERAM VERDADEIRAS)

NÃO SEI QUEM FEZ MAS PRA MIM ESSA PESSOA MERECIA UMA MEDALHA DE HONRA DE NOSSA SENHORA POR ESTA BELA DEFESA

"Quando você diz que devemos dar ouvidos ao que os padres dizem a respeito das aparições de Jacareí, corre em um ledo engano, pois, a “opinião pessoal” deles é que não pode ser elevado ao nível de “dogma de fé”. As cartas de Dom Nelson são muito citadas pelos que latem que estas Sagradas Aparições são falsas. Portanto, mister se faz alguns esclarecimentos. Há duas cartas oficiais onde este indigitado bispo trata da matéria “aparições”. Uma primeira, publicada em 1996, enquanto o mesmo ainda era bispo de São José dos Campos (diocese a qual pertence Jacareí). Nesta, não há menção alguma ao nome do Profeta Marcos Tadeu Teixeira, muito menos, excomunhão, há somente algumas orientações pastorais. A segunda, publicada em 2007 e republicada em 2011, realmente traz explicitamente o nome do Profeta Marcos Tadeu Teixeira, porém, nesta, a palavra “excomunhão” é sequer mencionada.

Ainda há um probleminha com esta segunda carta. O dito bispo (certamente pela providência de Nossa Senhora) foi transferido para a diocese de Santo André/SP em 2003, e, observem, a segunda carta publicada por ele ocorreu no ano de 2007, quando já havia deixado de ter jurisdição eclesiástica sobre a cidade de Jacareí. Portanto, o mesmo, ao editar esta carta, violou a jurisdição eclesiástica conferida a ele pela Igreja, e, ainda, violentou gravemente a autoridade de Dom Moacir, então, bispo da Diocese de São José dos Campos, que, se quisesse, poderia ter criado o maior caso com isso, pois Dom Nelson desrespeitou frontalmente e atropelou sua autoridade eclesiástica, uma verdadeira afronta. Então eu lhes pergunto, vocês ainda vão dar credibilidade a um documento irregular e eivado de vícios como esse?

Vale lembrar, que não é obrigatório seguir estas cartas circulares dos bispos. Não há heresia nem cisma nisso. Um católico somente pode ser acusado de cismático ou herege se atentar contra os Dogmas de Fé. Que eu saiba, carta circular de bispo não é Dogma de Fé. Como a primeira carta de Dom Nelson não condena as Aparições de Jacareí, e a segunda está irregular, pode-se dizer que não pesa condenação oficial e regular da Igreja sobre estas Santas Aparições. Além do mais, até o presente momento, Dom José Valmor, que atualmente tem jurisdição eclesiástica sobre Jacareí, não fez pronunciamento oficial sobre as mesmas. Documento oficial onde o Profeta Marcos foi excomungado, também é inexistente, portanto, qualquer informação que diga o contrário é fruto de pura “fofoca”.

Ressalto que em Jacareí, realmente, não damos tanta importância aos documentos do Vaticano. O que nós realmente valorizamos é a doutrina que nos foi transmitida pelos santos, como Santo Afonso, São Luiz, Santa Teresa, São João da Cruz, etc... Outro adendo que gostaria de acrescentar, diz respeito ao fato da obrigatoriedade ou não das Sagradas Mensagens Celestiais. A orientação predominante entre os teólogos católicos, de que não é obrigatório seguir as Aparições de Nossa Senhora, se funda em meras opiniões pessoais de alguns clérigos a respeito do assunto. Esta orientação não tem o caráter da infalibilidade papal e muito menos é um Dogma de Fé. Realmente, o catecismo atual traz algo nesse sentido, mas vale lembrar que o mesmo não recebeu o caráter da infalibilidade pelo Concílio Vaticano II. Bem ao contrário do Santo Catecismo do Concílio de Trento. Este sim, recebeu o caráter de infalível. Ocorre que nossa amada Igreja há muito se transviou de uma tradição bíblica milenar, através da qual o “Deus dos Exércitos” sempre manifestou sua vontade ao povo de Israel por meio de suas aparições aos profetas (mesmo fenômeno que ocorre com o, também, profeta Marcos Tadeu, pois os fenômenos miraculosos e de aparições que ocorrem naquele Santuário, são da mesma espécie dos verificados na Sagrada Bíblia).

Ora, nos tempos bíblicos não era através dos fariseus, saduceus, príncipes e doutores da lei (a Igreja oficial da época) que Deus dava as suas diretrizes ao povo eleito, mas sim, através dos profetas, em outras palavras, dos videntes. Nos primórdios do cristianismo, também ocorria assim, pois, a própria origem da nossa amada Igreja se funda nas “aparições” de Jesus aos apóstolos e discípulos. Então, por que esta tradição bíblica foi quebra? Será que é porque as aparições aos profetas cessaram? Errado, pois nos últimos 100 anos ocorreram mais de 1000 aparições de Nossa Senhora, dos santos e anjos, e até de Deus.
A pergunta correta é, por que o clero tenta abafar isso, pois grande parte, senão todas, destas aparições também foram acompanhadas de sinais miraculosos, como, curas inexplicáveis pela ciência, sinais na natureza, etc... Se Deus usava deste expediente nos tempos bíblicos, certamente deveria continuar a usá-lo nos tempos do catolicismo, pois uma grande verdade que a Teologia professa é que Deus é imutável. Não citarei as passagens bíblicas onde Deus manifesta sua vontade através dos videntes/profetas, pois se assim fizesse, teria que citar a Bíblia inteira, pois a própria formação e ensinamentos nela transmitidos se dão por este meio. Gostaria apenas de citar um pequeno exemplo de qual atitude deveremos tomar frente às Aparições de Jacareí, tomando por base a Bíblia. Saulo, quando se dirigia à cidade de Damasco e Jesus lhe “aparece” exclama: “Senhor, que queres que eu faça?” (At 9, 6). Naquela ocasião, Jesus disse a ele para procurar os fariseus e saduceus (a Igreja oficial da época)? Não! O ordenou que entrasse na cidade de Damasco e ali lhe seria dito o que deveria fazer. Beleza. E quem Deus enviou para Saulo? Os fariseus e saduceus (a Igreja oficial da época)? Não! Mas Ananias, um vidente. Como eu sei que Ananias era um vidente? As Sagradas Escrituras nos contam que foi uma aparição de Jesus que disse para ele ir procurar Saulo. É só conferir At 9, 10-16ss.

Outro exemplo foi Judas Iscariotes; este preferiu errar com a Igreja oficial da época (lembra né, fariseus e saduceus) que acertar sem ela. Bom... Errou mesmo! E segundo alguns santos místicos, como Maria de Ágreda, sua alma se encontra no inferno. Assim, a posição teológica defendida pela maioria dos teólogos atuais, de que as aparições não são obrigatórias, falando em termos de estudo teológico da atualidade, é perfeitamente passível de questionamento, e, inclusive, daria uma boa tese de doutoramento. É um posicionamento que pode ser mudado. Não é Dogma de Fé. Gostaria de finalizar este ponto dizendo o seguinte. Jesus tolerou para sempre aquela Igreja oficial da época (o judaísmo) que rejeitou o projeto que suas aparições aos Apóstolos (que também eram videntes) propunha? Claro que não!!! Por causa disso, Deus se retirou do meio daquela Igreja e passou a habitar no meio dos seus videntes, os apóstolos e discípulos, e, assim, surgiu a nossa amada Igreja Católica (Mt 21, 39-45).

Não é objetivo do Profeta Marcos Tadeu, nem de sua Ordem e muito menos de nós, a Milícia da Paz (formada por todos os fiéis seguidores daquele Santuário) provocar um cisma na Igreja. Nós apenas denunciamos os erros (prerrogativa esta, conferida aos leigos pelo próprio Concílio Vaticano II), lutamos para que a devoção a Nossa Senhora, aos santos e anjos seja colocada em seu devido lugar, e que as suas mensagens, e as dos demais santos, e até as de Deus, seja acolhida como nos tempos Bíblicos, pois acreditamos que se isto não for feito, irá se abater gigantescos cataclismos sobre a Terra, de uma tal magnitude que nunca houve, nem jamais haverá. Acreditamos que esta “palavra de Deus” transmitida nas aparições é o caminho e a única forma de salvar o mundo, e qualquer obra, ou pessoa, que ensine ou faça diferente do que elas dizem, é desprezada por nós. O motivo para isto é muito simples. Desde tempos remotos, as Aparições de Nossa Senhora (inclusive as não aprovadas pela Igreja) vêm dizendo o que aconteceria ao mundo se esta “palavra de Deus” não fosse obedecida. Resultado, tudo o que elas disseram, em um passado remoto, está se cumprindo na atualidade. Então, não há outra conclusão a se fazer, a não ser admitir que elas eram verdadeiras, e que o clero errou. Aliás, o histórico de erro do clero é algo realmente interessante. Basta citar a condenação que pesou durante 20 anos sobre as Santas Aparições de Jesus Misericordioso à Santa Faustina, e não foi por um “bispozinho” qualquer. Foi pelo próprio papa da época. Se não fosse a atuação do então Cardeal Karol Józef Wojtyła, futuro Papa João Paulo II, estas aparições estariam condenadas até os tempos atuais, e, certamente, você seria um grande opositor delas, não é? Infelizmente, como atualmente o número de Cardeais, e clérigos em geral, com este nível de espiritualidade é praticamente nulo... tadinha das aparições... snif. Praticamente nenhum deles entende de Teologia Mística, o estudo apropriado para se avaliar as aparições e estudá-las.

Além do mais, as aparições de La Salette, Lourdes e Fátima, para quem conhece mais a fundo sua história, verá que elas na verdade não foram aceitas pelo clero. Muito pelo contrário, este as combateu com todas as suas forças. Na realidade, o que ocorreu, é que os fiéis praticamente as fizeram descer goela abaixo na garganta do clero, de tal modo, que eles não tiveram outra opção a não ser aprová-las. E, mesmo nestas que foram aprovadas, o estrago que o clero fez é algo incomensurável. Não as divulgou como deveria; se o corpo incorrupto de Santa Bernadete estivesse no Santuário de Lourdes iria converter milhões de fiéis, no entanto está praticamente escondido no convento de Nevers; o corpo incorrupto de Santa Jacinta foi escondido dos fiéis; a esmagadora maioria dos vaticanistas da Itália é de acordo que, até hoje, o terceiro segredo de Fátima não foi revelado em sua integralidade; a consagração da Rússia não foi feita como Nossa Senhora pediu até os dias atuais, etc... E isso, só para citar os danos que me vem à mente neste momento.

No Santuário das Aparições de Jacareí, o Profeta Marcos está resgatando tudo aquilo que a Igreja e a sociedade tanto se esforçaram para extinguir, os escapulários, medalhas, mensagens, enfim, a salvação do mundo que Nossa Senhora nos revelou e ofereceu com tanto amor ao longo de suas aparições na história. Sem dúvida, lá está se cumprido a passagem da Escritura na qual se diz: “Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas...” Mt 13,52 É uma nova aparição que resgata todas, até as mais antigas. Portanto, se ainda quiserem seguir a doutrina da cabeça deste cara de que não precisamos de aparições, o problema é de vocês. Aliás, se formos pensar bem, porquê Deus, Nossa Senhora os anjos e os santos apareceriam, né? Afinal de contas, nosso mundo está uma verdadeira maravilha, não é? Não temos problemas de droga, prostituição, corrupção, degradação moral, depressão, decadência da Igreja, violência, roubos, assassinatos, guerras, miséria..., todos os sacerdotes são verdadeiros Serafins de santidade, enfim, o Vaticano está dando conta do recado... Só não está apresentando um desempenho melhor devido a um “pequeno” probleminha de tráfico de influência entre os altos clérigos, desvio de verbas do banco do Vaticano, looby gay entre os padres, pedofilia generalizada, um papa progressista e comunista..., mas, afinal de contas, são probleminhas fáceis de serem solucionados, né? É... Em um mundo maravilhoso e em ótimo funcionamento como esse, realmente não entendo o motivo de tantas aparições..."